quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Novo procurador do Ministério Público (MP) em Portimão

http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/portugal/detalhe/procurador_novo_atrasa_ingleses.html










A chegada de inspetores ingleses ao Algarve, para mais diligências na investigação em torno de Madeleine McCann, prevista para o corrente mês, está atrasada. A nomeação de um novo procurador do Ministério Público (MP) em Portimão, que herdou o processo, deverá atrasar o despacho da carta rogatória da Scotland Yard a solicitar as diligências.

O novo magistrado do MP de Portimão entrou em funções esta semana. Está agora em fase de familiarização como os processos e a prioridade irá para os casos com arguidos detidos, considerados urgentes. Assim, a quinta carta rogatória enviada para a Procuradoria-Geral da República, pelos ingleses, só depois será analisada pelo MP. A decisão será, em seguida, remetida para a PJ e apenas nessa altura poderão ser iniciadas as diligências pedidas pelos britânicos, que incluem mais alguns interrogatórios.

Entretanto, um relatório do Home Office (Ministério do Interior) inglês ontem divulgado, censura o envolvimento de inúmeras agências governamentais britânicas na investigação que se seguiu ao desaparecimento de Maddie McCann, em maio de 2007, do Ocean Club, na praia da Luz. Segundo o Home Office, os investigadores ingleses "atropelaram-se", criando em Portugal e nas polícias portuguesas, "um sentimento de que estavam a ser colonizados". 

******

http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/portugal/detalhe/atraso_judicial__revolta_ingleses.html

A Procuradoria-Geral da República já recebeu a quinta carta rogatória da polícia inglesa, no âmbito da investigação ao desaparecimento de Madeleine McCann, mas a autorização para a realização das diligências pedidas está bloqueada devido à entrada em vigor do novo mapa judiciário.
Os investigadores da Scotland Yard, que esperavam regressar ainda este mês ao Algarve, estão frustrados e revoltados com mais um entrave na investigação.
Segundo o CM apurou, devido à reorganização judicial que entrou em vigor no início de setembro, o caso Maddie passou a ter prioridade reduzida no Ministério Público de Portimão. Os processos considerados urgentes e com arguidos detidos têm todos prioridade. O CM sabe que só depois do dia 15 de setembro é que o novo procurador do Ministério Público de Portimão, que foi nomeado recentemente, deverá analisar os mais recentes pedidos das autoridades britânicas.
Entre as diligências pedidas, tal como o CM já noticiou, estão novos interrogatórios a alguns dos suspeitos já ouvidos pela PJ depois das buscas infrutíferas realizadas na Praia da Luz. Segundo a imprensa inglesa, os elementos da Scotland Yard "estão a aguardar ansiosamente a resposta formal ao seu pedido para que possam planear os seus próximos passos". Recorde-se que, recentemente, um relatório do Ministério do Interior inglês concluiu que a investigação do caso Maddie criou um ambiente de "frustração" e "ressentimento" entre as polícias portuguesa e inglesa.