quinta-feira, 17 de julho de 2014

12 de Setembro 2009. E não me calo.

Matéria de Facto

No livro ‘A verdade da mentira’ falei da forma como se pode manipular uma investigação e desviá-la do seu objectivo principal: descoberta da verdade e realização da justiça. No caso, seria fácil: mudava-se o polícia que coordenava.

  • 12 de Setembro 2009, 00h30

Por:Gonçalo Amaral, Ex-Coordenador da PJ

Mas, como na investigação do ‘Apito Dourado’, ninguém se preocupou com o perigo para a independência de uma investigação criminal. Com o caso ‘Freeport’ a coisa piou fino, as pessoas a mudar já não eram meros funcionários públicos, polícias, mas ilustres Procuradores do Ministério Público. Foi então que ia caindo ‘o Carmo e a Trindade’ (ainda abana) e pessoas responsáveis neste país vieram alertar para o perigo.

Hoje, fui notificado de uma decisão judicial que me proibirá de exprimir de forma escrita ou oral opinião sobre a investigação do caso ‘Maddie’, na qual exerci actividade de polícia. Serei proibido de exercer a minha liberdade de expressão, mas sendo um mero cidadão e um vulgar ex-polícia, vamos ter que esperar pelos casos ‘Casa Pia’, ‘Apito Dourado’ e ‘Freeport’ para que ‘o Carmo e a Trindade’ caiam de vez. Mas, o tempo em que não se podia falar já lá vai e a desigualdade de classes não pode existir no que toca a direitos, liberdades e garantias. E não me calo.