terça-feira, 3 de junho de 2014

Bem procuram...mas será que encontram? E em Rothley?




Agradecimentos a Joana Morais por ter disponibilizado o artigo.

http://joana-morais.blogspot.com/2014/06/maddie-case-searching-for-evidence-of.html

http://mercedessigueaqui.blogspot.pt/2014/06/caso-madeleine-mccann-buscan-pruebas-de.html

artigo do CdM de 3 Junho 2014

Caso Maddie Procuram provas da morte na Luz 

Polícia inglesa acredita que criança morreu na Praia da Luz e procura corpo ou vestígios escondidos. Cães pisteiros começam hoje a ser usados. 

Por:Rui Pando Gomes/Tânia Laranjo

A polícia inglesa acredita que o corpo de Madeleine McCann, desaparecida há sete anos no Algarve, está ou já esteve enterrado na Praia da Luz, em Lagos. É este o foco dos investigadores britânicos que começaram ontem as buscas à procura de provas da morte da criança inglesa no terreno onde foram autorizadas escavações, seja o cadáver ou outros vestígios escondidos. 

Hoje, ao que o CM apurou, começam a ser usados os cães pisteiros vindos de Inglaterra para detetar corpos ou pistas enterradas. Os investigadores da Scotland Yard estão convictos de que a criança inglesa, então com quatro anos e que estava de férias com os pais e os irmãos gémeos, no aldeamento Ocean Club, morreu na Praia da Luz e que o corpo foi enterrado num terreno baldio. 

Admitem, no entanto, que o corpo possa ter sido retirado do local onde foi escondido, mais tarde, mas que tenham sido deixadas pistas e que agora sejam possíveis de detetar no terreno. 

As diligências estão a ser acompanhadas ao pormenor por elementos da Polícia Judiciária de Faro e por equipas da GNR, que garantem toda a segurança em redor do local das investigações (ver peça secundária). Durante o dia de ontem os elementos da polícia inglesa marcaram os locais onde deverão incidir as principais pesquisas, com a colocação de mais de uma dezena de estacas, com vários níveis de prioridade. Foram ainda feitas medições topográficas e montadas tendas para servir de apoio às investigações. 

Hoje entram em campo os cães pisteiros que vieram de Inglaterra para as buscas. Deverão percorrer os locais de maior importância para depois ser usado um georradar. Antes da utilização do equipamento para procura de cadáveres enterrados, terá de ser cortada a vegetação nos locais definidos. 

As escavações deverão ocorrer durante o dia de amanhã se entretanto for detetada qualquer pista ou vestígio concreto.

 Intrusos vigiados pela GNR 

Todo o perímetro do terreno alvo de buscas, que ronda o tamanho de dois campos de futebol juntos, está a ser vigiado pela GNR ao pormenor 24 horas. 

Ao que o CM apurou, estão envolvidos na operação, diariamente, cerca de 40 militares. Entre eles estão elementos do Destacamento Territorial da GNR de Portimão e equipas de binómios de patrulha do Destacamento de Intervenção da GNR de Faro. Todas as movimentações de possíveis intrusos que tentem entrar no terreno são seguidas ao pormenor do topo de um monte, onde está localizado o posto de controlo, com a ajuda de binóculos de longo alcance. 

Várias equipas, divididas por escalas, garantem a segurança dentro e fora do espaço onde as buscas estão a decorrer. O trânsito, que nesta altura tem sido muito mais intenso, está a ser também gerido pela GNR. 

Durante a noite todo o local é igualmente vigiado pelos militares, que garantem vigilância dos equipamentos e materiais colocados no terreno. Nos próximos dias, sabe o CM, o patrulhamento pode ainda ser reforçado. 

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/procuram-provas-da-morte-na-luz