domingo, 3 de novembro de 2013

Ericeira

https://www.facebook.com/pages/Jornal-O-Ericeira/155190841202344?hc_location=timeline





Ultimamente voltou a falar-se quase diariamente daquela deprimente obcessão do casal McCann no sentido de continuar a defender a telenovela do rapto da Maddie McCann! A mim, que conheci bem o caso e até fui porta-voz do Inspector da Judiciária Dr. Gonçalo Amaral, faz-me aflição ir seguindo as “estórias” inventadas pelos pais da criança, quando eles bem sabem o destino que a miúda teve...
Só lamento que o Gonçalo se não encha de coragem e não vá a uma televisão contar o que sabe e dizer até, onde param os restos mortais da miúda. Não me cabe a mim contar o que sei e pela minha parte só fui porta-voz do homem a quem uma série de decisões erradas por parte de uma jovem juíza, inexperiente e manipulada, permitiu cair num tremendo disparate que foi “acabar” com a liberdade de expressão e que eu, como porta-voz (já que o Gonçalo Amaral estava proibido de falar sobre o assunto) contestei publicamente, chamando a atenção para o desrespeito à Constituição. Esse erro foi já reparado mediante decisão após recurso intentado e ganho pelo Gonçalo. 

Mas – se me estás a ler Gonçalo – peço-te: acaba de vez com esta encenação e revela ao mundo o que sabes, reabre o processo em Portugal, acaba com as investigações patetas que vão alimentando a ideia sórdida do rapto, que afinal terá sido realizado por alguém que já faleceu... Enfim... tudo “estórias” que só têm um objectivo – alimentar a gula insaciável daquele casal que transformou a morte da filha em fonte de rendimentos.


Por hoje é tudo. Saúda-vos este vosso amigo desta abençoada terra dos cangurus e dos koalas.
Luis Arriaga – Sydney, aos 2 de Novembro de 2013.


Imagem de

http://rotaryemmafra.blogspot.pt/2012/08/companheiro-luis-arriaga-foi.html