segunda-feira, 21 de outubro de 2013

O suspeito desde sempre, o Jerrycan



Testemunha chave identificou pai de Maddie


Ex-coordenador da PJ diz que família irlandesa viu homem com criança

Gonçalo Amaral revela que depoimento-chave foi desvalorizado na altura do desaparecimento

  • Hoje, 01h00

Por:Sara G. Carrilho

O depoimento de um dos elementos da família Smith que identificou Gerry McCann como o homem que viu na noite do desaparecimento de Maddie a transportar uma criança ao colo a caminho da Praia [da Luz] foi desvalorizado depois de eu sair do caso. É mentira que o retrato-robô que a polícia britânica divulgou agora seja baseado no testemunho da família Smith."

As declarações são de Gonçalo Amaral, ex-coordenador da PJ que investigou o desaparecimento de Madeleine McCann, ao Correio da Manhã. E surgem na sequência da divulgação de retratos-robô por parte da Scotland Yard apontando um dos desenhos como sendo o do principal suspeito pelo presumível rapto da criança inglesa, a 3 de maio de 2007 – que afirmam ter sido feito com base no testemunho de uma família irlandesa que passava férias na Praia da Luz quando Maddie desapareceu.

Acredita que pai de Maddie está envolvido no caso?
"A família Smith contou-nos o que viu naquela noite. Um homem, estrangeiro, porte atlético, cara queimada pelo sol, como a dos turistas, e que escondia a face para não ser visto, com uma criança loira ao colo", contou Gonçalo Amaral. "Pouco tempo depois, quando a família McCann ‘fugiu’ para o Reino Unido, e foram recebidos no aeroporto pela televisão, um elemento da família Smith ligou nos, muito aflito. Gerry [pai de Maddie], que estava a sair do avião, era o homem que o senhor Smith tinha visto a transportar uma criança naquela noite", explicou o ex-coordenador.

Para Gonçalo Amaral, "houve uma identificação positiva, que foi posta de lado". "Os McCann contrataram detetives que fizeram um retrato, um homem parecido com Gerry, para desvalorizar o depoimento", concluiu.