terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Probably ? E , bye, bye CPA.

Probably!

'probably killed' .... his barrister tells court

Provavelmente! Tão estranho um " barrister" dizer isto.

Mas, temos mais um caso : o da K8 e de CPA.

....  " lhe disse que se ela não aceitasse a proposta da PJ seria «acusada de homicídio». " 


O advogado português dos pais de Madeleine McCann, Carlos Pinto de Abreu, considerou hoje "perfeitamente admissível" e "normal" que o casal tenha contratado advogados britânicos, escusando-se a prestar quaisquer declarações sobre a sua colaboração com os mesmos.

.... " Carlos Pinto de Abreu escusou-se, no entanto, a falar sobre a sua eventual colaboração com os advogados ingleses, alegando segredo de Justiça.".......

..... "Kate McCann escreve "apenas dois anos", contando que o advogado Carlos Pinto Abreu, que o casal contratou meses depois do desaparecimento da filha, lhe disse que se ela não aceitasse a proposta da PJ seria "acusada de homicídio".

..... "Her Portuguese lawyer even tried to sweeten the pill by suggesting that while she stayed in jail, her husband Gerry could go back  to work." 



advogado Carlos Pinto Abreu, que o casal contratou meses depois do desaparecimento da filha, lhe disse que se ela não aceitasse a proposta da PJ seria «acusada de homicídio».



Pinto de Abreu

Quem é o advogado português de Kate e Gerry McCann

António Sarmento e Joana Moura   

13/09/07 01:05

Carlos Pinto de Abreu foi contratado pelo casal McCann a conselho de um advogado da região do Algarve. Adora agarrar casos mediáticos, ser visto como um intelectual e de posar para os fotógrafos.
Carlos Pinto de Abreu, que só acompanhava o “caso Maddie” pela televisão, foi surpreendido no início de Setembro por um telefonema de um dos assessores da família McCann. Do outro lado da linha surgiu-lhe um convite aliciante: ser, em Portugal, o advogado de Gerry e Kate McCann, que estavam a um passo de ser os principais suspeitos do desaparecimento da filha, Madeleine. “Ele ficou muito satisfeito, no sentido de poder descobrir o que realmente se passou com a menina”, disse ao Diário Económico uma fonte próxima do advogado. 

No escritório de Germano Marques da Silva – o presidente da Assembleia Geral do BCP – onde Pinto de Abreu trabalha, os colegas não falavam de outra coisa. Afinal de contas, o advogado não conhecia ninguém ligado aos McCann. “Quando os assessores dos ingleses andavam pelo Algarve à procura de um especialista em direito penal, encontraram um advogado que os aconselhou a contactar Pinto de Abreu”, explica a mesma fonte. Ele não teve dúvidas de que queria agarrar o caso mais mediático do momento. No dia 6 de Setembro, partiu para o Algarve, onde começou por acompanhar Kate no interrogatório da Polícia Judiciária.  

A experiência de Pinto de Abreu deixou o casal inglês mais seguro. O advogado já teve em mãos casos importantes como o dos irmãos Pinto - os camionistas acusados de tráfico de droga e de liderar o bloqueio à ponte 25 de Abril - ou o dos dirigentes da UGT suspeitos de fraude na obtenção de subsídios do Fundo Social Europeu. “Em tribunal é exigente, rebuscado nas suas apresentações, erudito e um pouco irónico”, diz ao Diário Económico António Raposo Subtil, seu colega no Conselho Geral da Ordem dos Advogados. Contudo, por vezes, esta táctica não resulta. No processo dos irmãos Pinto, onde trabalhou com Rogério Alves, Jaime e Mário acabaram por ser condenados a pena de prisão.

Mesmo quando perde em tribunal, Pinto de Abreu, com 40 anos, chega ao escritório bem disposto. “Desde que a sentença tenha sido justa, ele não fica chateado, nem perde o humor”, conta uma fonte. Quando ganha reage da mesma forma. O advogado é viciado em trabalho. Começa a trabalhar às 9 horas, depois de levar as três filhas (de 4, 8 e 10 anos) à escola e sai por volta das 23h30. Nos tempos livres gosta de correr, ler e escrever. “Já corri 9 maratonas, entre as quais a de Nova Iorque, Londres, Madrid”, conta Pinto de Abreu ao Diário Económico. 

E também gosta de dar nas vistas. “Querendo parecer simples, tem uma preocupação extrema em ser visto como um intelectual acima da média e de ser sofisticado”, confessa uma fonte próxima. “O maior defeito dele é mesmo ser vaidoso”, acrescenta o amigo. De facto, das duas vezes que saiu das instalações da Polícia Judiciária com Kate e Gerry McCann, fez um sinal com a mão para que os dois arguidos parassem. Estava, na altura, a posar para as dezenas de objectivas que os esperavam ansiosamente.


11 de Setembro de 2007



Regional

Madeleine: Advogado português dos McCann considera "normal" contratação de advogados britânicos

O advogado português dos pais de Madeleine McCann, Carlos Pinto de Abreu, considerou hoje "perfeitamente admissível" e "normal" que o casal tenha contratado advogados britânicos, escusando-se a prestar quaisquer declarações sobre a sua colaboração com os mesmos.

O pai de Madeleine McCann, desaparecida no Algarve há mais de quatro meses, afirmou segunda-feira no site dedicado à procura da filha ter contratado juristas britânicos para aconselhar a família e apoiar o advogado português na preparação da defesa do casal contra eventuais acusações.

No site "Find Madeleine", no qual não escrevia qualquer comentário desde a passada quinta-feira, Gerry McCann refere: "Contratámos juristas para nos aconselhar e dar assistência ao nosso advogado português na preparação de uma defesa contra qualquer possível acusação".

"É perfeitamente admissível que procurem conselho jurídico. É normal que todos os cidadãos tenham direito ao patrocínio jurídico, só não é normal para quem tem aversão aos direitos e aos advogados", afirmou Pinto de Abreu.

Enquanto falava aos jornalistas, à margem da apresentação, em Sintra, da sua candidatura à presidência do Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados, Carlos Pinto de Abreu escusou-se, no entanto, a falar sobre a sua eventual colaboração com os advogados ingleses, alegando segredo de Justiça.

"Cumpro rigorosamente a lei. Todos os casos são iguais, todos os clientes devem ser tratados da mesma forma. Por isso, não farei qualquer comentário sobre o caso, por mais que insistam, por mais que tentem", afirmou.

O advogado preferiu apenas apelar à serenidade e à contenção, para que o apuramento das causas do desaparecimento de Maddie não fique comprometido.

"O mediatismo à volta deste caso pode prejudicar não apenas a honra das pessoas, mas também a própria investigação", defendeu.

Madeleine McCann desapareceu a 03 de Maio passado quando dormia com os irmãos gêmeos num apartamento num empreendimento turístico na Praia da Luz, concelho de Lagos, no Algarve, enquanto os pais jantavam com amigos num restaurante próximo.

O casal McCann regressou a Inglaterra sábado passado, depois de ter sido inquirido quinta e sexta-feira pela PJ e ter sido constituído arguido no processo relativo ao desaparecimento da filha.


Kate McCann escreve "apenas dois anos", contando que o advogado Carlos Pinto Abreu, que o casal contratou meses depois do desaparecimento da filha, lhe disse que se ela não aceitasse a proposta da PJ seria "acusada de homicídio".


Mrs McCann has also written about how she was speechless with fury when police offered her a ‘lenient’ jail term if she confessed to disposing of Madeleine’s body.

Her Portuguese lawyer even tried to sweeten the pill by suggesting that while she stayed in jail, her husband Gerry could go back  to work.