domingo, 9 de dezembro de 2012

artigo revisitado.


Encontrei este artigo de opinião:


A zanga das comadres britânicas 12 de Agosto de 2007


por Hernâni Carvalho

A mãe do Rui Pedro nunca teve o planeta à procura do seu filho, nunca teve assessor de imprensa............

Apesar da desgraça que se abateu sobre eles, os McCann são uns sortudos.

 A mãe do Rui Pedro nunca teve o planeta à procura do seu filho, nunca teve assessor de imprensa, nunca deixou o filho a dormir para ir jantar com os amigos e o seu site de procura do filho apenas dispõe de 800 euros. Gerry e Kate têm milhões para gerir e poder continuar a procurar Maddie.

No princípio era o verbo do assessor de imprensa dos McCann quem propunha a tese de rapto. Depois, o homem foi para assessor do primeiro-ministro britânico, veio outro e ao terceiro assessor de imprensa, os McCann terminaram a lua-de-mel com a comunicação social portuguesa. Coincide esta mudança com as notícias sobre a alteração do rumo da investigação. Maddie deve estar morta há 3 meses e o grupo que jantou a 3 de Maio no Ocean Club não tem explicações coerentes.

Mas afinal quem é que neste grupo é tão especial para que Londres se tenha empenhado de tal forma? 

Ainda a PJ não estava no local e já o embaixador britânico falava com o director nacional da Judiciária. 


Kate McCann afirmou logo na primeira noite "eles levaram-na". Os media ingleses repetiram em coro, rapto. Declarações preparadas, assessor de comunicação, aparições estudadas, colocação das televisões, nessas aparições, imposta de acordo com indicações do assessor, site na Internet, peditório mundial, milhões de euros, gestor de fundos, enfim, num espaço de poucas horas emergiu na Praia da Luz uma oleada máquina de suporte aos McCann. Coisa nunca vista, mesmo entre os súbditos de sua majestade.

Apesar da desgraça que se abateu sobre eles, os McCann são uns sortudos. A mãe do Rui Pedro nunca teve o planeta à procura do seu filho, nunca teve assessor de imprensa, nunca deixou o filho a dormir para ir jantar com os amigos e o seu site de procura do filho apenas dispõe de 800 euros. Gerry e Kate têm milhões para gerir e poder continuar a procurar Maddie. 

A 4 de Maio já a PJ estava condicionada a procurar um raptor. A tese de rapto mobilizou homens e meios. Outras linhas foram subalternizadas. Alguém quis ganhar tempo? Quem? Porquê?

A PJ tem provas dadas. Mas condicionada fica insignificante. E assim esteve um mês. Condicionada.

Às tantas a imagem internacional da PJ foi salva por via da eterna zanga das comadres britânicas.


São velhas as tensões entre a Scotland Yard e o MI6. Em verdade terão sido os da Yard colocados em Portugal quem pôs os pés à parede. Havemos de saber um dia se foi ou não por proposta (?) dos da Yard que rodeiam a PJ que o rumo das investigações se alterou. Não foram eles quem propôs que os cães britânicos revisitassem o quarto que os McCann ocupavam a 3 de Maio? Não foram eles quem propôs a utilização dos serviços do FSS - o laboratório britânico que está a analisar os"vestígios de sangue só agora descobertos"?

Faz 3 meses que ninguém do governo português quis esclarecer porque carga de água é que a PJ "tem"que andar acompanhada por investigadores britânicos. Foi a PJ que pediu ajuda? Foi o governo português que se acachapou? Ou foi Londres que pura e simplesmente determinou?

Será que em Downing Street acham que o Algarve fica em Gibraltar de Cima? Se calhar fica e nós, os portugueses, é que (ainda) não fomos informados. Também não seria a primeira vez...