quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Progenitores que matam os filhos



http://sociedad.elpais.com/sociedad/2012/09/05/actualidad/1346844717_093676.html

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=2753765&page=-1

http://politica.elpais.com/politica/2012/08/28/actualidad/1346189656_187578.html


Algunos de los huesos hallados en Las Quemadillas, según el informe del forense Etxeberria.



O juiz encarregue do caso de Ruth e José, duas crianças espanholas desaparecidas em outubro passado, decidiu acusar o pai, José Bretón, de homicídio com a agravante da relação de parentesco. A prova decisiva foi conseguida com a análise de ossos encontrados na casa dos avós das crianças.

José Bretón foi acusado de homicídio com a agravante da relação de parentesco, sendo que as vítimas são os seus próprios filhos, Ruth e José. As crianças, de seis e dois anos, respetivamente, estão desaparecidas desde outubro, e o pai sempre foi o principal suspeito, por inconsistências no seu testemunho.
Segundo o jornal espanhol El País, a razão para o juiz José Luis Rodríguez Lainz ter mudado a acusação de desaparecimento forçado para homicídio deve-se a uma nova análise de ossos que haviam sido encontrados na casa dos avós das crianças, em Córdoba.
Os ossos foram descobertos nos restos de uma fogueira, ainda no dia em que Bretón reportou o desaparecimento dos filhos, e na altura foram dados como sendo ossos de animais.
O suspeito afirmou ter perdido os filhos num parque, após desviar os olhos por um segundo. Em relação à fogueira, Bretón disse que a tinha acendido para queimar pertences da mulher, que lhe havia pedido o divórcio.
Até agora já se sabia que a chamada de emergência feita por Bretón a informar do deparecimento dos filhos não fora feita a partir do parque onde afirmou ter perdido as crianças. Além disso, as câmaras de vigilância no local mostram sempre o pai sozinho.
A juntar a essas provas, três novas análises aos ossos e dentes encontrados mostram que estes pertencem a crianças com idades coincidentes com as dos desaparecidos.
Entretanto, foi feita uma nova busca de apenas uma hora na casa de Bretón, para tentar encontrar mais indícios na zona da fogueira, mas não foram divulgados resultados.