sexta-feira, 4 de maio de 2012

Outra anedota o .....H.H.

"twitts roubados"


 Oops! Haynes Hubbard: "...they've got TWO beautiful children....um....THREE...

Can't believe his own words?! Yes, he is not convincing! He says so much and yet nothing at all

 Haynes Hubbard not a bit convincing! Very flustered & flushed & shakes his head a lot



Cinco anos sem rasto da Maddie - pudera! 

Habitantes querem esquecer o “grande mistério” da Praia da Luz.

Madeleine McCann, uma menina inglesa de três anos, desapareceu sem deixar rasto no dia 3 de maio de 2007, quando estava no apartamento onde passava férias com os pais, na Praia da Luz, em Lagos. Cinco anos depois, as especulações continuam, mas ninguém sabe ao certo se a menina está viva ou morta. A população quer esquecer o crime, mas a comunicação social teima em recordar o assunto. Afinal, Maddie é um dos nomes mais conhecidos na lista de crianças desaparecidas em todo o mundo…
(Toda a reportagem na próxima edição em papel do Jornal do Algarve – dia 3 de maio)
Nuno Couto/Jornal do Algarve

e:



Vila da Luz guarda as memórias do caso Maddie

Helena Figueiras / Vedin Trhulj

03 Mai, 2012, 13:49

Madeleine McCann desapareceu há precisamente cinco anos da Praia da Luz, em Lagos. A menina inglesa tinha na altura quase quatro anos e nunca se chegou a saber o que realmente aconteceu. A Vila da Luz guarda no silêncio as memórias de um período conturbado que quer esquecer.
Habitantes da Praia da Luz querem “esquecer” caso Maddie

“A comunidade já está cheia da polémica, mesmo os estrangeiros”, dizem os residentes.

03-05-2012 12:11 por Gastão Costa Nunes 



A Praia da Luz, em Lagos, saiu das bocas do mundo e é assim que os seus residentes querem que se mantenha. Se se falar dela, que seja pela hospitalidade das suas gentes. Cinco anos depois do desaparecimento de Maddie McCann, a população quer esquecer o caso. 

“Acho que o povo da Luz quer esquecer o que aconteceu. Queremos levar uma vida normal. Não queremos pensar mais nisso”, desabafa à Renascença Bruno, proprietário de um café. 

António, José e Manuel reforçam a ideia do silêncio desejado: “A comunidade já está cheia da polémica, mesmo os estrangeiros”. 

Quanto à nova investigação anunciada pelos ingleses, os residentes mostram-se pouco entusiasmados. “Quer dizer, antes tiveram a faca e o queijo na mão. Por uma ou por outra razão, estiveram-se borrifando para isso ou as autoridades portuguesas não quiseram aprofundar o caso”, critica um habitante. 

“Isto não vai dar nada. Quanto a mim já não vai dar”, considera outro dos residentes da Luz. 

Por estes dias, é também difícil encontrar ingleses que queiram falar sobre o assunto, mas alguns devem deslocar-se à Igreja da Luz, esta quinta-feira, às 21h00, para rezar por Maddie, desaparecida a 3 de Maio de 2007.