sexta-feira, 13 de abril de 2012

18 de abril no Algarve?


O julgamento do advogado Marcos Aragão Correia e do professor universitário António Pedro Dores, por difamação do ex-inspetor da PJ Gonçalo Amaral, foi hoje novamente adiado para
18 de abril.

O ex-inspector, que investigou o desaparecimento de Joana, filha de Leonor Cipriano, processou ambos por aludirem publicamente à alegada tortura de que aquela foi alvo durante a fase de interrogatório do caso Joana.

Nada garante que seja a 18 de Abril, penso eu. Há muitas causas que permitem adiar: doenças; requerimentos; a não comparência de mais um dos intervenientes ou outras estratégias que desconheço.