terça-feira, 20 de março de 2012

Mortes violentas. Alexandra e Georgina




O homem saiu então da água com a mulher nos braços, desmaiada ou já morta, contou a testemunha, que disse ter tentado interpelá-lo, mas sem sucesso.
"Os olhos da mulher estavam parados e a criança que estava com eles a chamar pela mãe", disse o cidadão português, referindo-se à pequena Alexandra, de 21 meses, filha de Gunnar e Georgina.





http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/empurrou-a-mulher-para-debaixo-de-agua

Uma testemunha contou esta terça-feira no julgamento do presumível homicida de uma cidadã angolana e da filha, em 2010, numa praia algarvia, que viu o suspeito afogar a vítima, obrigando-a a manter a cabeça dentro de água.




"Vi um homem a meter a cabeça de uma mulher debaixo de água", disse no Tribunal Regional de Munique a testemunha, um português de 75 anos.
Contou ainda que Gunnar Dorries foi tomar banho na Praia dos Canaviais, perto de Lagos, com a namorada angolana, Georgina Zito, e que primeiro começaram a brincar, lançando água um ao outro.
"Mas depois vi que o homem começou a empurrar a mulher para debaixo de água e uma das vezes durante muito tempo. Eu pensei que ela se ia afogar, porque ninguém aguentaria aquilo", acrescentou o declarante.
O homem saiu então da água com a mulher nos braços, desmaiada ou já morta, contou a testemunha, que disse ter tentado interpelá-lo, mas sem sucesso.
"Os olhos da mulher estavam parados e a criança que estava com eles a chamar pela mãe", disse o cidadão português, referindo-se à pequena Alexandra, de 21 meses, filha de Gunnar e Georgina.
Enviar um comentário