sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

o passarinho da 1ª investigação.

Em 2011: 




Em 2012 , graças ao apoio da Família e das Amigas.








http://www.tvi24.iol.pt/aa---videos---sociedade/ricardo-sa-fernandes-sa-fernandes-rui-pedro-rapto-lousada-afonso-dias/1327924-5795.html




Para Sá Fernandes, «o tribunal só pôde construir esta tese porque se baseou nos depoimentos dos inspetores da Polícia Judiciária, que, há 12 anos, não investigaram coisa nenhuma».

«A família do Rui Pedro é vítima duas vezes dos mesmos homens que, aquando da investigação do processo nada fizeram e que são os responsáveis pela desgraça que se abateu em cima desta família», acusa o advogado. «Estes polícias reformados e ressabiados vieram pôr em causa a credibilidade da prostituta Alcina Dias», acusa ainda Sá Fernandes, e explica que os elementos da PJ reconheceram que, sabendo da existência da prostituta, não a ouviram nem fizeram os reconhecimentos porque se tinham esquecido.





http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/mae-de-rui-pedro-internada


(O sorriso cínico de AD à saída........ e eu vi esse sorriso, talvez num vídeo. E vi e ouvi a lavagem do AD numa estação de Tv. Como ele não respondia; como ele desviava o olhar para o alto; como ele se divertiu.)


Mãe de Rui Pedro internada

.... o Correio da Manhã falou com familiares da criança desaparecida e conta como reagiu Afonso Dias à absolvição.





«Não tenho grandes dúvidas de que o julgamento vai ser anulado», afirmou Ricardo Sá Fernandes, advogado da família de Rui Pedro, em entrevista ao «Jornal das 8» da TVI.

O advogado explicou que havia três questões fundamentais: «Saber se o Rui Pedro tinha sido aliciado para ir às prostitutas, que o tribunal considerou provado; saber se o Rui Pedro tinha entrado no carro do arguido Afonso, que o tribunal considerou provado; e se o tinha levado às prostitutas, que o tribunal não considerou provado», considerando que pode ter sido outro rapaz com um outro homem. 

Para Sá Fernandes, «o tribunal só pôde construir esta tese porque se baseou nos depoimentos dos inspetores da Polícia Judiciária, que, há 12 anos, não investigaram coisa nenhuma».

«A família do Rui Pedro é vítima duas vezes dos mesmos homens que, aquando da investigação do processo nada fizeram e que são os responsáveis pela desgraça que se abateu em cima desta família», acusa o advogado. «Estes polícias reformados e ressabiados vieram pôr em causa a credibilidade da prostituta Alcina Dias», acusa ainda Sá Fernandes, e explica que os elementos da PJ reconheceram que, sabendo da existência da prostituta, não a ouviram nem fizeram os reconhecimentos porque se tinham esquecido.

Para Sá Fernandes, a nulidade surge neste ponto. «A lei é muito clara: os inspetores da PJ só podem depor em julgamento sobre as diligências em que participaram. Se eles não ouviram Alcina Dias nem fizeram os reconhecimentos, a que propósito é que, 14 anos depois, vêm agora descredibilizar o depoimento da prostituta porque ela é prostituta?»

«É uma infâmia que o tribunal se tenha agarrado aos inspetores que negligenciaram a investigação e foram mentir para julgamento. Que cometeram crimes», acusa.

«Infelizmente em Portugal, a autoridade tem muita dificuldade em ser posta em causa e o tribunal teve muita dificuldade em pôr em causa a autoridade dos inspetores», lamenta ainda o advogado.

«Isto inquinou a convicção daqueles juízes e eu não tenho grandes dúvidas que, do ponto de vista processual, não há outro remédio. O julgamento de Lousada vai ser repetido, felizmente com outros juízes», acredita.
Enviar um comentário