terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Caso Rui Pedro








http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=35605&utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

O tribunal de Lousada agendou hoje para dia 12 a visualização, em audiência de julgamento, da gravação vídeo realizada em julho de 2004 de uma reconstituição dos factos que envolveram o desaparecimento de Rui Pedro.
O caso do desaparecimento, há mais de 13 anos, desta criança de Lousada começou a ser julgado em meados de Novembro.
Nesta reconstituição, com cerca de uma hora de imagens em vídeo, .............
o homem acusado do rapto da criança e único arguido do processo, apresenta a sua versão dos factos no dia do desaparecimento.
A visualização do vídeo, requerida pela acusação particular, constituirá a primeira oportunidade de, em audiência, conhecer a versão de Afonso Dias, o qual, até agora, se tem remetido ao silêncio.
Para essa visualização da reconstituição dos factos, que vai ocorrer no final da audição das testemunhas arroladas pela acusação, o tribunal exigiu a presença da procuradora do Ministério Público e do inspector da PJ que conduziram aquela diligência da fase de inquérito.
O advogado da família de Rui Pedro requereu que a visualização fosse efectuada na sessão de hoje, aproveitando o reduzido número de testemunhas convocadas, mas o colectivo entendeu que deve ser respeitada a ordem das provas apresentadas pela acusação, faltando ainda a audição de várias testemunhas.
A defesa de Afonso Dias tinha-se oposto antes à visualização do registo da reconstituição enquanto não fosse produzida em audiência toda a prova testemunhal, incluindo as testemunhas arroladas pelo arguido. Contudo, o colectivo não deu provimento aos argumentos da defesa.
Na sessão de hoje, a sexta do julgamento, Manuel Ferreira, tio de Rui Pedro, garantiu que, no dia do desaparecimento, cerca das 13:45, viu Afonso Dias dentro de um carro preto estacionado junto ao restaurante da família da criança desaparecida. Segundo aquele familiar, o arguido seguiu atrás de Rui Pedro quando o menor passou de bicicleta junto ao restaurante.
Este depoimento dá força aos indícios que apontam no sentido de ter havido dois contactos de Afonso Dias com Rui Pedro, o primeiro cerca das 13:45, nas proximidades do restaurante, e o segundo cerca das 14:30, nas proximidades da escola preparatória. Este segundo encontro terá sido testemunhado por colegas de Rui Pedro que se encontravam na escola a jogar futebol.
Essas crianças, actualmente adultos, garantiram ao tribunal terem visto Rui Pedro entrar num carro preto que a acusação diz ser de Afonso Dias.
Entre os dois encontros, a criança ter-se-á encontrado com a mãe, cerca das 14:15, à qual foi pedir para sair de carro com Afonso Dias.
A acusação sustenta que Afonso Dias seduziu e conduziu Rui Pedro para um encontro com uma prostituta.
Uma mulher ouvida na segunda-feira pelo tribunal, que à data dos factos se dedicava à prostituição na zona de Lustosa, Lousada, confirmou que esteve com Rui Pedro no dia do desaparecimento e que o menor foi levado num carro preto conduzido por Afonso Dias.
Lusa/SOL
Enviar um comentário