sábado, 26 de novembro de 2011

Meu querido diário- o da K8. Comentários.




Ligeiras diferenças nas citações

Lord Justice Leveson , o responsável pelo inquérito a quem foram concedidos poderes para convocar e interrogar testemunhas e reunir provas, indicou que poderá satisfazer a pretensão dos McCann.
Kate McCann disse acreditar que o seu diário lhe foi retirado pela polícia portuguesa e posteriormente devolvido, e que alguém o copiou e fez chegar aos jornalistas.
Kate declarou ter encontrado ligeiras diferenças entre as suas palavras e as que foram publicadas pelo "News of the World", o que a leva a pensar que o diário terá sido traduzido de inglês para português e depois novamente de português para inglês.





A mim, parece-me que, quando lhes falta o dinheiro, reaparecem para poderem lucrar. 
Este caso tem mais contradições por parte dos pais, que o distúrbio de informações.



Plenamente de acordo com o seu comentário. Mais uma vez a mãe parece estar com receio que o seu diário possa apurar a verdade da ocorrência.


Ou da verdade que não escreveu. 
Está mais preocupada com o dinheiro. 
Tantas crianças desaparecem todos os dias, não são notícias (infelizmente). 
A Maddie, por infortúnio, os pais estão mais preocupados em juntar o dinheiro do que contar realmente o que se passou. 
Seres mesquinhos.


Subscrevo na integra.

Mas estas m.e.r.d.a.s de assuntos ainda deambulam por Portugal? Já não há pachorra pá!" Tenham lá paciência!


Quando faltou o carcanhol, venderam o diário ao Murdoch; 

Quando o dinheiro voltou a faltar e agora que o Murdoch se teve que calar, vêm tentar sacar umas massas aos Portugueses! 

Já não tenho pachorra para estes bifes!


Até quando? Querem dinheiro? Vão aos mercados que estão cheios de guito!


Será desta que a verdade vem ao de cima?



Como é que ainda continua a ser dada publicidade a esta escumalha?...


Esqueçam o diário... o que poderia ter algum interesse eram as transcrições das mensagens trocadas entre os McCanns e os membros do Tapas gang. 

Essas mensagens eram mensagens escritas e (sendo a lei omissa relativamente a msns) podiam ter sido consideradas como cartas. Nesse caso teriam sido consideradas como provas para este caso. 

Até um fax pode ser apreendido e usado como prova. Ou um email. 

Pois, vejam bem que à tantas aparece um mui douto (?) Juiz que, uma vez que as mensagens são enviadas por um telemovel... resolve... equipará-las a conversas telefónicas! 
Por esse motivo, essas mensagens (pelo menos oficialmente), nunca puderam ser lidas pela Polícia Judiciária!!! 
Pode-se dizer que este Juíz conseguiu estabelecer um novo paradigma.do que é ser... parvo. 



Cá para mim, o corpo de Maddie não se encontra em nenhuma dessas barragens, nem sequer se encontra em Portugal, mas sim na ria de Huelva, onde os Mccann se deslocaram para "espanhar" num domingo quente, alguns panfletos, foram acompanhados de jornalistas , mas conseguiram despistá-los por 30 a 45 minutos. 
O cadaver foi transportado na mala daquele carro como provaram os indicios.


Essa hipótese da ria de Huelva é muito bem pensada. 


Local onde a policia portuguesa tinha mais dificuldade em actuar e onde o corpo pode ter sido definitivamente escondido.


O que este casal (ambos medicos) tem de menos é falta de dinheiro, ou será que em Inglaterra os medicos sao mal pagos ? Só tesórios ignorantes é que vêem sempre o dinheiro como motivo.


muito pouco transparente, em que o papel do poder politico da altura ( Socrates ) também não está esclarecido. 
O certo é que a familia Mccann era alvo de suspeitas fundamentadas por parte da policia portuguesa, era amiga do primeiro ministro britânico e do seu chefe de gabinete, também trabalhista. 
Também certa foi a demissão do policia português da judiciaria que chefiava o processo e a substituição do chefe da PJ. 
Ainda uma realidade , foi o desenrolar da cimeira de Lisboa onde Gordon e Socrates conversaram longamente. Também foi visível que Portugal a sua policia e justiça foram insultados longamente nos tabloides ingleses. 
Pouco entendível é o silêncio do PSD e de outros caçadores de escândalos portugueses, mas certo , certo é que as relações entre Socrates e a PJ, nunca mais foram as mesmas. 




Enviar um comentário