terça-feira, 13 de setembro de 2011

Gonçalo Amaral : próximo livro OUTUBRO










































12-09-2011

Pedofilia em casa

Gonçalo Amaral fala sobre este tema na última parte.




Pequena transcrição :




Júlia Pinheiro JP Programa "Querida Júlia"

JP: ora vamos falar de outro tipo de preocupações e de aflições. Fique a partir de agora bem atento porque há coisas que não acontecem só aos outros. 

clipe: é no seio da família que ocorrem os casos de pedofilia e de abusos sobre menores . Muitos casos não chegam a ser denunciados mas, só no ano passado foram feitas 70 detenções. Este ano , até ao mês de Agosto 56 pessoas já tinham sido detidas ……………



JP: tenho aqui comigo alguém que tem com certeza deparado com muitas destas situações e, agora inclusive está a preparar um livro que se chama " Vidas sem defesa , desaparecimento , rapto e abuso de Crianças  em Portugal". É Gonçalo Amaral para quem peço um aplauso. 

JP: por que sentiu necessidade de fazer um livro sobre esta matéria? 

GA: bem,  tanto a   gravidade do tema e, também porque há pouca informação nesta área e pouco se faz . Como já disse aqui várias vezes , nós vamos reagindo aos casos , seja  as Polícias e as Instituições que têm de dar respostas mas nada se planeia, nada se estuda e não se chega ao porquê; o tentar perceber o porquê .

O meu livro tenta dar respostas porque desaparecem tantas Crianças. E as Crianças desaparecem muito facilmente , por isto tudo . São seres vulneráveis à vitimização e, são alvos de abusos, de maus tratos , de negligência  ; o que leva a que muitas vezes desapareçam ; que sejam raptadas e abusadas. 

JP: Gonçalo Amaral tem estado muito ligado a casos de Crianças que desapareceram, que nunca mais desapareceram . Uma delas tem a ver com o caso da….. o caso já está resolvido , o caso Joana , não é? 

GA: houve outros casos…. 

JP: muitas vezes estes casos muito mediáticos trazem o lado do desaparecimento, do rapto mas quase sempre à volta há uma história de abuso sexual .

GA: sim, há sempre e mesmo no caso da Joana que levanta uma questão importante que é o como se detectam estes casos e o caso é detectado pela Professora na Escola e que alerta a Comissão Nacional de Protecção de Jovens e Crianças em risco e por causa do  comportamento dela e que leva a suspeitar de um abuso, um abuso que depois se veio a confirmar ; que não chegou a confirmar  quem seria o abusador sexual dela ; ela era alvo de   negligência também.

Esta questão da Família e da Escola é por aí não só a  detecção dos casos mas a formação para evitar….

JP: neste aspecto temos de contar com os Professores e com as Pessoas que interagem muito concrectamente com…

GA : sim, porque isto é uma área muito multidisciplinar. Uma área que envolve Psiquiatras ,Psicólogos; Professoras , Técnicos da Segurança Social, Polícias , Magistrados e ninguém pode dizer que a solução é esta.  Por exemplo, eu poderia dizer, como Polícia, que a solução é esta mas o assunto tem de ser discutido com todos. É uma área que envolve Pessoas de várias áreas de intervenção porque de facto o problema não é só um caso policial ou judicial . Quando assistimos a estes casos a  intervenção judicial é a última coisa que tem de acontecer . A prevenção e a formação é o que devia ter acontecido primeiro. Mas isso não acontece no nosso País, não existe, não existe. 

Se reparar nas Escolas não se educa ninguém…. olhe , para dar um exemplo :
ninguém tem uma preparação para ser Pai . É-se Pai e de repente tem-se ali uma Criança ; pode-se aprender a mudar as fraldas mas não se aprende a ser Pai .
Parece que faz parte de nós mas não se aprende. Hoje em dia, até este conceito de ser Pai era  ter um Filho, plantar uma árvore e escrever um livro ; hoje em dia está tudo ao contrário.  Primeiro plantar uma  árvore e escrever um livro e mais tarde ter um Filho.  Há coisas que estão a ser alteradas na nossa sociedade e, parece que nós não estamos a acompanhar ….

( entrevista a um Advogado de pedófilo áudio ) 

JP……………..…………….. também é Jurista. também consegui defender alguém assim ( pedófilos) em Tribunal ?


GA : Posso dizer-lhe que há pouco tempo entrei num Estágio de Advocacia e que 
não dou para Advogado … achei que não era o caminho ideal. É difícil . Mas o Dr. que aqui acabou de falar ( acerca de caso de pedofilia) tem uma certa razão quando fala da Polícia, quanto à forma como intervém . Recordo um caso nos Açores em que o meu Colega que fazia um Relatório final… estava a fazer o relatório cheio de emotividade pois tinha uma Criança da idade daquela Menina com três anos ; a história do Capuchinho Vermelho, do velho malvado e mesmo aí 
a relatar os factos temos de ser objectivos e temos de procurar todos os elementos de prova . 

Mas, deixe-me dizer-lhe que se costuma dizer que nestes casos não há testemunhas, que só há a palavra do adulto e a palavra da Criança. Não é assim. É que pode haver prova pericial ; podem ser feitos exames à Criança …..
no caso de Joana foi encontrado esperma numas cuecas da Criança , na zona vaginal… portanto e, não tínhamos corpo….  
É possível fazer-se e faz-se exames psicológicos à Criança e avaliar, como aconteceu noutros casos, se a criança está ou não a falar verdade .

JP: mas como uma Pessoa tão experimentada como Gonçalo Amaral se afere a verdade na voz de uma Criança? 

GA:   falo da minha experiência acerca de um caso que aconteceu no Algarve , uma mãe que denunciou a situação e até houve a intervenção da Comissão da Protecção de Menores e, quando a Criança é ouvida, com um perito ao lado, a Psicóloga, ela é que contava a história, desenhando o que se passara , o que tinha acontecido … É uma prova material. Aqueles documentos que a Criança faz… Portanto a Criança tem forma de se exprimir conforme a idade e aquela começou por se exprimir pelo desenho ; como acontece em muitos casos…

GA :  normalmente não mentem mas é preciso algum cuidado ; mas também lhe posso dizer que muitos dos casos que acontecem dentro da Família tem tudo a ver com tudo: com os maus tratos, com a violência doméstica e até com a falta de segurança. Sabe que as pessoas por vezes até nem pensam porque a principal fonte de perigo para uma Criança é a casa onde habita .

Eu gostava de deixar aqui, se me der a oportunidade… há um projecto muito interessante, que está a decorrer que é a " Oficina dos Perigos , a Casa dos Perigos " na Lousã . Um projecto da Câmara Municipal da Lousã  onde se alerta para uma série de perigos. E, penso que é por aí em termos de Formação; é uma das formas…

JP : e o Seu livro que vai sair agora em Outubro também fala disso …

GA : fala , falo nisso, nos sinais e das fontes de perigo, que tipos de perigo, quais os comportamentos e o resultado final: o desaparecimento; o rapto; a morte ou não por isso mesmo as Crianças são muito vulneráveis à vitimização e varia o padrão conforme a idade . Na Família as Crianças são mais dependentes , até aos 11, 12 , 13 anos e os casos acontecem dentro da família, dos conhecidos, dos vizinhos .














Enviar um comentário