segunda-feira, 15 de agosto de 2011

O C. da M. também apaga páginas na net



SÁBADO, 28 DE OUTUBRO DE 2007
A chave do mistério está "seguramente em Kate, mulher muito especial e com distúrbios", garante ao CM José Cabrera Fornero, psiquiatra forense que acompanha o caso desde o início. O espanhol assistiu, atento, "à entrevista encenada" que o casal concedeu à Antena 3 e o objectivo era "terem o povo espanhol com eles". Mas 70 por cento dos ouvintes que ligaram para o canal acredita que os McCann estão a mentir e o psiquiatra acompanha-os -"ao chorar sem mexer um músculo Kate mais parecia um jogador de póquer".Especialista em expressão facial, Cabrera diz que “o rosto de Kate é sempre o mesmo, salvo pela lágrimas – as primeiras nos últimos cinco meses e curiosamente só depois de ter sido criticada por não chorar”. Agora fê-lo mas a sua cara “não expressa qualquer emoção ou sentimento. Quando se chora mexem-se os músculos da cara e ela não mexeu um único músculo, tal como os jogadores de póquer. Isso é muito significativo”, assegura o psiquiatra espanhol, e “traz-nos a certeza de que está a esconder algo”.
Cabrera diz que os 30 minutos de conversa foram afinal “uma entrevista não espontânea, perfeitamente encomendada em relação a todas as perguntas feitas pelo jornalista. E dá-nos a impressão que toda aquela postura foi encenada pelo casal”.
O espanhol recorda a última frase de Gerry e considera-a mesmo “genial: “Não fales enquanto não te tirarem o microfone”. Isto só vem provar que afinal tudo aquilo não passava de um grande teatro, toda uma entrevista encenada. Isso ficou claro”.
José Cabrera reparou em “meia hora de entrevista em que ele só se preocupou em controlá-la. É extraordinário. Sempre que ela abria a boca para falar ele apertava-lhe a mão – e tudo porque a chave deste mistério está seguramente nela, é uma mulher muito especial...”
Kate McCann “há muito que tinha problemas psiquiátricos”, garante o especialista, e “agora agravaram-se”. Cabrera reteve uma entrevista que os avós de Maddie deram recentemente à televisão espanhola: “Estes, na sua inocência, contaram inclusive que a filha Kate lhes confessara tempos antes do desaparecimento que a menina estava a ficar cada vez mais parecida com ela, o que do ponto de vistas psiquiátrico quer dizer muito...”.
Para o espanhol poderá estar aí a origem de uma má relação entre mãe e filha – com reflexos nos desabafos que Kate terá escrito sobre Madeleine no seu diário pessoal – “o que é bastante significativo” para todos os especialistas que têm acompanhado este caso desde os primeiros dias de Maio”.
A grande preocupação de Gerry tem sido “controlar os impulsos da mulher em público – e isso ficou mais uma vez bem demonstrado ao longo desta entrevista”, diz José Cabrera Fornero. “É ele que domina toda a situação, está a par de tudo e sabe que tem de a controlar e à sua personalidade problemática, para que ela não se exceda à frente das câmaras e fale demais...”.
Todos os gestos e expressões faciais “tornam-se fatais para quem tem algo a esconder” – é o que dita toda a experiência acumulada ao longo de anos por este especialista em psiquiatria forense. “E quanto a isso não há qualquer volta a dar.”
Nada move José Cabrera “contra este casal”, que não conhece, mas defendeu a culpa os McCann no programa ‘Prós e Contras’ da RTP, quando a Polícia Judiciária confirmou as suspeitas sobre o casal – e reforçou ontem a sua tese ao CM, um dia depois de Kate e Gerry terem escolhido Espanha para a primeira entrevista televisiva desde que foram constituídos arguidos.
A própria imprensa inglesa confirmou ontem que “70 por cento dos ouvintes que ligaram para a Antena 3 acredita que os McCann estão a mentir”, adiantava a edição on-line do ‘Daily Mail’.
José Cabrera não ficou surpreendido: “Qualquer inglês é frio, mas ela tem algo mais – a sua personalidade não é normal. E ele impressiona por só se preocupar com as respostas dela...”
PERFIL
José Cabrera Fornero, de 50 anos, formou-se no Hospital Central de Madrid em psiquiatria forense. Trabalhou seis anos nos Cuidados Centrais de Madrid e entre várias penitenciárias da zona de Madrid e Toledo. Exerce actualmente num consultório privado e tem acompanhado todo o caso Maddie desde os primeiros dias de Maio.
A ANÁLISE DO PSIQUIATRA FORENSE À EXPRESSÃO FACIAL DE KATE
CONTROLADA
Gerry manteve a mão direita sobre Kate durante toda a entrevista. Segundo o psiquiatra espanhol José Cabrera, o pai de Maddie tentou dessa forma manter a mulher sob controlo. Tinha medo das respostas de Kate – “a chave de todo o mistério”.
ENCENAÇÃO
O psiquiatra espanhol diz que toda a entrevista foi uma encenação da extensa máquina mediática que acompanha o casal. “Nota-se que é uma entrevista não espontânea, foi tudo perfeitamente encomendado em relação a todas as perguntas feitas.
ELOGIOS
Moita Flores garante já saber por antecedência que Gerry iria fazer elogios à Polícia Judiciária – faria parte da estratégia montada. Mostrou-se sempre mais seguro do que a mulher e garantiu que os testes de ADN nunca irão incriminar o casal.
OS MÚSCULOS
José Cabrera é especialista em expressão facial e diz que, “quando alguém normal chora, mexe os músculos da cara – ao contrário de Kate, que não move um único músculo, como um jogador de Póquer. E isso mostra que está a esconder algo”.
FRIA
Apesar das lágrimas, o psiquiatra forense caracteriza Kate como uma pessoa fria. “Qualquer inglês é frio, mas ele tem seguramente algo mais – a sua personalidade não é normal. Tem problemas psiquiátricos que foram agravados. É uma mulher muito especial”.
AVISO
Gerry avisou Kate para não dizer nada enquanto não lhe tirassem o microfone, o que para o psiquiatra Cabrera “é genial. E só prova que aquilo era um teatro, encenado ao longo de toda a entrevista. O objectivo era terem o povo espanhol do lado deles”.
MISTÉRIO
Entre o casal “há um mistério por desvendar”, acredita o especialista espanhol. Kate está a “esconder algo” mas “não controla a sua personalidade”, por isso tem de estar constantemente controlada pelo marido. Moita Flores diz que já sabia que Kate iria chorar.
MCCANN DIVULGAM RETRATO
Kate e Gerry McCann revelaram ontem publicamente um retrato-robot do potencial raptor de Maddie, feito por um artista e com base na descrição que a amiga do casal, Janne Tanner, fez de um homem do Sul da Europa ou mediterrânico que diz ter visto passar, na noite de 3 de Maio, com uma criança embrulhada num cobertor. Este homem teria entre 35 e 40 anos e cerca de 1,70 m, segundo Jane, e a criança usaria um pijama parecido ao de Maddie. Mitchell, o porta-voz do casal, diz que a PJ aprovou a divulgação desta imagem.
"A ENTREVISTA FOI UM NÚMERO DE CIRCO": Moita Flores, criminologista, considera que a entrevista foi mais uma encenação dos McCann
Correio da Manhã – Que opinião tem sobre a prestação dos McCann na entrevista que deram à televisão espanhola?
Moita Flores – Tudo aquilo me pareceu um número de circo, em que o casal repetiu os lugares comuns do costume, conseguindo mais uma vez fugir ao essencial. E mais uma vez revelaram que têm muito para contar, só não o estão a querer fazer...
– Nesta entrevista à Antena 3 Kate mostra-se muito mais emotiva do que era habitual.
– Mas o mais curioso é que antes de esta entrevista ser concedida já se sabia que a senhora ia chorar, o que veio a acontecer. E até acabou por conseguir desempenhar bem o papel...
– Acredita que houve encenação de imagem em toda esta entrevista?
– Repare que também já se sabia que o casal iria desta vez aproveitar para elogiar a polícia portuguesa, o que se veio a confirmar...
– Gerry parece seguro de que os testes de ADN não os podem incriminar.
– Quando ele falou dos testes, foi uma resposta tonta a um jornalista dócil. Toda a gente sabe que os testes de ADN servem para identificar pessoas e não mentem. Mas por si só não condenam ninguém. Foi miserável.
– Como se podem definir as declarações do casal?
– Foi uma encenação em que ninguém acredita. Depois da tese de rapto, agora insistem na inocência. E quem é inocente não precisa disto...
NOTAS
CARTAS ROGATÓRIAS
Ontem, fonte oficial da PGR garantiu que as cartas rogatórias não estam prontas
EXAMES DE ADN ATRASADOS
Os exames de ADN estão atrasados. A PGR garante que ainda não recebeu o relatório final
PROCURADOR TAMBÉM VAI
O procurador do MP também seguirá para Inglaterra, com os inspectores de Portimão
Fonte:www.correiodamanha.pt

http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.asp?id=263229&idCanal=9



http://www.venuscreations.ca/viewsohistoria.asp?curpage=3             61
Enviar um comentário