sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Acto inédito na história da P.J...





















Gonçalo Amaral

Gonçalo de Sousa Amaral nasceu a 2 de Outubro de 1959 na aldeia de Torredeita, perto de Viseu.

Cursou engenharia no ISEL e no IST.

Em 1992/1997 cursou, no período nocturno, a Faculdade de Direito de Lisboa, tendo-se licenciado em Ciências Jurídicas e Criminais. Ingressou na Administração Pública em 1973, com 14 anos.


Em Novembro de 1981 iniciou o curso de formação de agentes da Polícia Judiciária, tendo tomado posse em 1982 como Agente.


Em 1997/1998 frequentou o curso de Subinspectores da PJ, sendo o primeiro classificado entre 100 alunos.


Em 2000/2001 cumpriu o curso de Coordenadores da PJ. Exerceu funções em Lisboa, no Algarve e nos Açores.


Durante anos perseguiu, com eficácia, com todo o tipo criminalidade violenta e organizada: furtos, roubos, homicídios, tráfico de estupefacientes.

Teve uma carreira profissional impoluta, amplamente reconhecida por colegas e superiores hierárquicos, bem como por magistrados judiciais e do Ministério Público, por funcionários judiciais e advogados, com quem teve o prazer de lidar durante muitos anos.


Tem como máxima que «a justiça se realiza em silêncio ».

Foi Coordenador Operacional das investigações do “caso Maddie”, entre 3 de Maio e 2 de Outubro de 2007, tendo nessa ocasião sido afastado da investigação, num acto inédito na história da Polícia Judiciária.


Aposentou-se em 1 Julho de 2008, ao fim de 27 anos de carreira policial, a fim de readquirir a plenitude da sua liberdade de expressão sobre o caso que investigou e de contribuir, na medida do possível, para a descoberta da verdade material e a realização da justiça.

Considera-se um beirão por nascença, lisboeta por migração e algarvio por adopção. É casado em segundas núpcias e tem 3 filhas.




Enviar um comentário