sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Obviamente....... foi intencional.



















Se o vídeo não funcionar aqui, vão aos links










http://blacksmithbureau.blogspot.com/2011/01/consultant-speaks.html

crime scene

among those who entered the room on the night she disappeared were parents Kate and Gerry McCann, other holidaymakers and friends and staff from the Ocean Club resort.

at least complicated the work of the forensic team.

At the very worst they would have destroyed all the evidence. This could prove to be fatal for the investigation."


Olegário de Sousa


a “source close to the family” was quickly on to the Press Association about Mr de Sousa’s comments: "It's insensitive at the very least. Of course the family are going to search the apartment. If your child goes missing, you search under the beds, in the wardrobes, behind the doors, everywhere. It's inevitable that there were people in the bedroom.

Even if what the police are saying is true, it's very unhelpful to say it publicly."


Quite. That could be Gerry McCann’s epitaph.


http://news.bbc.co.uk/2/hi/uk_news/6761669.stm


Madeleine evidence 'may be lost'


Chief Inspector Olegario de Sousa said so many people entered her room looking for her after she disappeared that forensic teams faced a difficult task.
Mr de Sousa told a Portuguese paper 20 people entered the three-year-old's room the night
she disappeared.


Na noite em que Madeleine McCann desapareceu , a 3 de Maio de 2007 , terão encontrado no apartamento onde passava férias com os pais no aldeamento The Ocean Club , na Praia da Luz , mais de 20 pessoas , « destruindo provas e vestígios decisivos e fundamentais » para a PJ identificar quem raptou a menina , notícia hoje o Diário de Notícias .

Uma situação admitida ontem ao Diário de Notícias (DN) pelo porta-voz da PJ para o caso , Olegário Sousa , segundo o qual , « a presença de tanta gente , sobretudo no quarto onde dormia a pequena Madeleine com os irmãos gémeos Sean e Amelie, pode no mínimo , ter complicado da Polícia Cientifica e , no máximo , destruído provas . Pode mesmo ter sido fatal para a investigação .

Segundo aporou o DN , logo após Gerald e Kate McCann terem detectado o desaparecimento de Madeleine por volta das 21:30 , entraram no quarto mais de 20 pessoas , entre familiares e amigos que ali se encontravam de férias com o casal e os filhos , para além de muitos turistas e funcioñários da Resort , que , com natural ansiedade e preocupação , procuraram a criança britânica por todo o lado , remexendo nas camas , armários e outros móveis , abrindo e fechando portas e janelas .


Los investigadores portugueses y británicos, junto a los tres perros especialistas, volvieron al apartamento que los McCann ocupaban cuando desapareció Madeleine. Los padres lo abandonaron la misma noche del suceso y se trasladaron a otra habitación en el mismo complejo turístico donde estuvieron hasta agosto. Luego se mudaron con sus otros dos hijos a una urbanización cercana. Entre tanto, las habitaciones fueron limpiadas y ocupadas por otras personas.
La limpieza del apartamento no impidió a los perros británicos encontrar los rastros de sangre que posteriormente fueron enviados a Birmingham. Además, rastrearon la zona cercana al Ocean Club y la playa, intentado reconstruir el itinerario que habría seguido la pequeña y determinar si su cuerpo pudo haber sido arrojado al mar.


http://www.elpais.com/articulo/sociedad/indicios/muerte/Madeleine/elpepisoc/20070813elpepisoc_4/Tes




http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/lista-de-pedofilos-escondida-da-pj-com-video

Investigação: PGR impede polícia de aceder a documentação sobre abusadores


Lista de pedófilos escondida da PJ (COM VÍDEO)

List of British pedophiles, hidden from P.J. ( vídeo )

Um extenso dossiê contendo informações sobre várias dezenas de pedófilos ingleses a residir no Algarve foi enviado pelas autoridades britânicas para Portugal no âmbito da investigação ao desaparecimento de Maddie McCann. Está agora no Tribunal de Portimão, fechado no gabinete do procurador que titulou o caso, Magalhães e Menezes.

A Procuradoria-Geral da República, liderada por Pinto Monteiro, aceitou que a mesma documentação fosse desentranhada do inquérito, a pedido dos ingleses, não tendo sido sequer entregue às autoridades policiais para a investigação de outros casos que possam envolver crianças portuguesas.

São centenas de páginas, com dados, moradas e factos sobre ingleses condenados por actos sexuais com menores, que se encontram a viver no Algarve. Há também dados de indivíduos que moram no Sul de Espanha, em cidades próximas da fronteira, e que têm passado criminal por actos sexuais com menores.

Encerrada a investigação ao desaparecimento de Madeleine, os ingleses exigiram que o dossiê fosse retirado do processo, alegando a necessidade de proteger esses indivíduos, já que o processo se tornaria público.


O dossiê foi entregue a Magalhães e Menezes e está agora fechado no seu gabinete. A PJ não tem cópia e não pode usar a informação para outras investigações.

Inglaterra também deixou de fornecer às autoridades portuguesas dados sobre viagens de pedófilos.


http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/lista-de-pedofilos-escondida-da-pj-com-video


http://videos.sapo.pt/DALRRzBi8Y85AoVc99sW

DESCRIÇÃO Dados de pedófilos apenas foram enviados devido ao desaparecimento da menina inglesa.

http://www.youtube.com/watch?v=gtIGNtRF9_Y



Os factos de descritos por Gonçalo Amaral não presentes no relatório são:

Registos telefónicos, chamadas efectuadas e recebidas, dos telemóveis de Kate e Gerry na noite do desaparecimento que terão sido apagadas.


As informações pedidas às autoridades inglesas sobre os McCann, no dia do desaparecimento, nunca chegaram.


Segundo o ex-PJ, as informações sobre os cartões de débito e crédito do casal também nunca foi fornecida.

Relatório da PJ: pontas soltas


O relatório da PJ conclui que a realização da reconstituição dos factos seria «importante», no entanto, não foi possível realizar devido à recusa de alguns elementos do grupo.

Assim, fica por esclarecer:


«A proximidade física, real e efectiva entre Jane Tanner, Gerald McCann e Jeremy Wilkins, no momento em que a primeira passou por eles, e que coincidiu com o avistamento do suposto suspeito, transportando uma criança. Resulta, a nosso ver, inusitado que tanto Gerald McCann como Jeremy Wilkins, não a terem visto, nem ao alegado raptor, apesar da exiguidade do espaço».

«O estabelecimento de uma linha de tempo e de controlo efectivo dos menores deixados sozinhos nos apartamentos, uma vez que, a crer-se que tal controlo seria tão apertado como as testemunhas e os arguidos o descrevem, seria, pelo menos, muito difícil que se encontrassem reunidas condições para a introdução de um raptor na residência e posterior saída do mesmo, com a criança, mormente por uma janela com escasso espaço.

Acresce que o suposto raptor só poderia passar, nessa janela, com a menor numa posição diferente (na vertical) à que a testemunha Jane Tanner o visualizou (na horizontal).

«O que aconteceu no hiato temporal que mediou entre as 17h30 (...) e a hora a que é reportado o desaparecimento (cerca das 22h00).


http://diario.iol.pt/sociedade/ultimas-noticias-maddie-relatorio-pj-maddie-iol-livro-madeleine/976226-4071.html

http://www.publico.pt/Sociedade/caso-maddie-bruscamente-num-maio-passado_1378199?all=1

Um Óscar para os McCann

"Sim, houve uma grande solidariedade [para com o casal] no início, mas depois as pessoas começaram a perceber que havia qualquer coisa esquisita", diz a empregada do Ocean Club. A desconfiança em relação aos McCann parece, hoje, uma actividade colectiva na Luz, mesmo que cada um alegue provas individuais, a sua própria versão daquilo que alguém descreve como "as fantochadas dos McCann".

A empregada do Ocean Club: "A filha desapareceu na quinta-feira e na segunda-feira ele já estava a jogar ténis com os amigos, todo contente. Ela ia correr, e os jornalistas iam todos atrás. Fazia de propósito."

Cândida Domingos, auxiliar de educação da escola primária: "Nunca houve uma lágrima. É muito suspeito uma mãe que perde um filho estar na televisão a falar a 100 por cento. Eu acho que ela é mais suspeita do que ele."

Uma mulher que lê o Correio da Manhã à mesa do café: "Depois de ter acontecido, eu vi-a sentada a comer na esplanada do restaurante chinês. Se fosse eu, acho que ficava em casa, com a cara tapada. E não tenho filhos. Mas tenho sobrinhos."

Outra testemunha local: "São grandes actores. Não sei como é que não receberam o Óscar. Ao fim de dois dias, a minha tese já não era a das outras pessoas. Passei pelo Gerry McCann e ele estava a rir à gargalhada ao telemóvel."


Caso Maddie: Arquivado porquê?

2009-05-03

ALEXANDRA SERÔDIO, MARISA RODRIGUES E NUNO MIGUEL MAIA


http://www.jn.pt/Dossies/dossie.aspx?content_id=1220101&dossier=O%20caso%20Maddie%20McCann&page=-1


SOCIEDADE

PJ atrás dos telefones dos Mc Cann e amigos

por

PAULA MARTINHEIRA e JOSÉ MANUEL OLIVEIRA09 Novembro 2007

http://www.dn.pt/inicio/interior.aspx?content_id=988641
Enviar um comentário